Mata verde

Êh banzo… (homesickness para os pseudo-pescoçudos)


Na palma da minha mão tem os dedos, tem as linhas
Que olhar cigano caminha procurando alcançar
A nau perdida, o trem que chega, nova dança
Mata verde, esperança
Em suas tranças vou voar
Passarinho, vou voar

To com vontade de voltar no tempo, voltar para um canaval em Iguatu, correr de bicicleta, tomar banho de mangueira, ficar acordado esperando meus pais voltarem do baile de carnaval. De acordar para discutir quem despertou mais cedo, de ficar tirando nata do café-com-leite, de subir em árvores rápido como quem rouba na partida de esconde, de jogar bila — apenas para perder todas.

***

Minha filha? Está crescendo… devagar, mas crescendo…

Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho – Canta Coração

3 Responses to “Mata verde”

  1. Pordeus says:

    Cool…

  2. Pordeus says:

    Parabéns Maca!!! Comemore muito seus 24 anos hehe

  3. Sellaro says:

    Fala, Maquinha

    Parabéns, meu velho. Venha logo pra gente tomar umas duas ou três :)

Leave a Reply