Condenado à liberdade

Essa liberdade é muito mais uma tortura do que uma dádiva. Daí que Sartre dizia que estávamos “condenados à liberdade”. Não escolhemos existir e muito menos no miserável, angustiante e nauseabundo mundo existencialista. Mas, uma vez lançados na vida ao nascer, somos responsáveis por tudo o que fazemos.

Mais aqui e aqui.

Marky – Hatiras, J. Majik – Space Invader

6 Responses to “Condenado à liberdade”

  1. ventonegro says:

    Quer dizer que você é um existencialista pessimista, MaCa?

  2. Não sou lá dos mais otimistas mas… :-D

  3. Pordeus says:

    Pessimista? Q nada Freud, impressão sua… esse cara respira otimismo… :-)

  4. Pera pera pera pera… tb não é pra tanto

  5. DanielMM says:

    Cara, o Macambira não é pessimista, ele é complicado e mau humorado é diferente…:)

  6. Ralf Rickli says:

    Será isso pessimismo?

    E a máxima de Kierkegaard, “faça o que fizer, você se arrependerá” – será pessimista? Ou não?

Leave a Reply