Archive for June, 2004

Eu: quadrado, magro e sem biquini

Wednesday, June 30th, 2004

Secretaria do DCC/UFMG, 10 e alguma coisa, assinando o ponto

Eu: Aê Lu, “belê”?
Lu: Beleza. E com você?
Eu: Indo…

(entra o co-orientador na sala, dirigindo-se para os escaninhos )

Co: Aê, Macambira, o négocio lá está funcionando mesmo?
Eu: Na verdade… não. Ontem à noite eu acabei descobrindo que não…
Co: Hehe… Por quê não, Macambira?
Eu: Bem… eu descobri que a biblioteca informar que não há perda de pacotes e não haver perda de pacotes são duas coisas distintas agora. E pelo que eu vi está sim tendo perda… (blá blá blá)
Co: Ha Ha! Lu, esse Macambira é igual ao cara da cerveja!
Eu: (cara de “heim?”)
Co: Da Skol! Só que ele não é gordo e não usa biquini, mas desce quadrado que só ele!

:grin: É… eu mereço!

Momento Debian

Monday, June 28th, 2004

Duas paixões, café e Debian; um só background – é muito para mim pai! E ainda tem um splashscreen. :-D (via Debian Planet)

Eu, o ogro

Monday, June 28th, 2004

Ela não me atende. Ela não me liga. Ela não aparece. Ela não dá papo. Ela não está solteira… Melhor desistir? Jamais! Seria melhor morrer a parar de pelejar.

* * *

Nada como uma tapa no seu ego inflado numa madrugada de domingo para segunda para fazer o espelho lhe olhar de modo estranho.

* * *

Ele diz que ainda vem, mas já não sei se é verdade. Ele só adia sua vinda dia após dia.

* * *

Uma garrafa de vinho branco, 400 gramas de camarão descascado, disposição de sobra, o rei cantando “Você não serve para mim”, e um bom papo com velhos amigos. Toda semana deveria terminar assim.

DJ Colette – Vocals vs tables

Hora “Z”

Tuesday, June 22nd, 2004

“A hora da verdade é quinta-feira, 13:13 : hora de mostrar os exames…”

Zeto, via SMS

É… estamos cada vez mais perto da hora Z :-P

Dj Tiesto – Deep Forest (live)

Agradáveis surpresas

Tuesday, June 22nd, 2004

… são tão melhores quando você não tenta racionalizá-las. E elas ficam ainda melhores quando você deixa ao tempo o trabalho de decantá-las para extrair o que de mais sincero havia

No doubt – Bathwater

You and your museum of lovers
The precious collection you’ve housed in your covers
My simpleness threatened by my own admission

And the bags are much too heavy
In my insecure condition
My pregnant mind is fat full with envy again

But I still love to wash in your old bathwater
Love to think that you couldn’t love another
I can’t help it…you’re my kind of man

Wanted and adored by attractive women
Bountiful selection at your discretion
I know I’m diving into my own destruction

So why do we choose the boys that are naughty?
I don’t fit in so why do you want me?
And I know I can’t tame you…but I just keep trying

‘Cause I love to wash in your old bathwater
Love to think that you couldn’t love another
I’m on your list with all your other women
But I still love to wash in your old bathwater
You make me feel like I couldn’t love another
I can’t help it…you’re my kind of man Why do the good girls always want the bad boys?

So I pacify problems with kisses and cuddles
Diligently doubtful through all kinds of trouble
Then I find myself choking on all my contradictions

‘Cause I still love to wash in your old bathwater
Love to think that you couldn’t love another
Share a toothbrush…you’re my kind of man
I still love to wash in your old bathwater
Make me feel like I couldn’t love another
I can’t help it…you’re my kind of man

No I can’t help myself
I can’t help myself
I still love to wash in your old bathwater

Eu estou é saindo de menos

Saturday, June 19th, 2004

Vou te contar… às vezes eu imagino que a trilha sonora da minha vida não poderia passar sem “The Offspring – Pretty Fly (for a white guy)”. Ontem foi um exemplo clássico de um momento em que essa música soaria alto, numa sucessão de flashes de cenas de comédia pastelão. E tudo isso por que eu não queria, não podia, não me permitiria passar uma única sexta-feira em casa.

Eu já devia ter previsto. Quem é D’Artangnon sem Athos, Porthos e Aramis? O que é o Acquaman sem os outros Superamigos? Quem sou eu para achar que eu me daria bem saindo só para a inauguração de uma boate e nova, onde só rolaria música eletrônica? Quem? :shock:

Confesso que as minhas expectativas não estavam muito altas. Não tinham como estar. Tudo que eu queria era, mais uma vez, escutar um bom “tunts-tunts”, só, na minha, como tantas vezes eu fiz em Fortaleza. Inevitavelmente eu encontraria o clássico tipo de público que sempre freqüenta esses cantos, na clássica distribuição 4 cuecas para 1 calcinha, e quanto a isso eu não esperava surpresas. O que eu não esperava, no entanto, era encontrá-los em um número tão reduzido.

Eu devia ter previsto, eu devia ter pressentido que as coisas iam ser ironicamente decepcionantes. Eu não devia ter sequer tirado o pé para fora do carro. Devia ter seguido para os locais de sempre. Mas nããããããão, :cool: eu tinha que inventar de ir para mais uma furada! Recapitulando: à 1 da manhã praticamente não havia carros estacionados em frente à casa, ao entrar eu dei de cara com a porta de vidro, ao tentar ir no banheiro masculino fui impedido porque uma menina estava trancada lá dentro (?!), e de todas as 25 pessoas que estavam no estabelecimento, contando com a equipe de apoio, de bar, seguranças e tudo mais, eu era o único sujeito que não sabia os nomes de todos os outros 24 presentes. Será que tinha algo de errado? O ápice da noite foi quando eu, fatidica e completamente sóbrio e desanimado às 2:30 da noite, ainda cogito tentar a sorte em outro canto! Não apenas cogito como me dirijo para lá. Convenhamos, no auge da repescagem eu ainda ia ter cara de preparar a vara, colocar a isca e esperar que alguma coitada ainda mordesse a minha linha? Coitada e embreagada, diga-se de passagem, porque, na repescagem, as sóbrias ou foram embora copos atrás, já devidamente acompanhadas, ou não vão se submeter ao vexame de ser fisgada na repescagem.

É… um dia eu aprendo. Espero. ;-)

Dica do dia – não pape a babá!

Saturday, June 19th, 2004

Aproveitando a onda de “outros blogs”, vai essa dica aqui para os futuros papais e para as futuras mamães lésbicas (mundo moderno, cara): Dive into Mark – Don’t fuck the babysitter.

INXS – By My Side

Garotas que não dizem “não”

Saturday, June 19th, 2004

Começou mais ou menos assim: eu estava falando com o Viktor Sabóia sobre sair só para os cantos, da saudade que tenho das festas e da cena de música eletrônica de Fortaleza e de uma vez que eu e o Rodrigo fomos para a Disco Voador, num dia que não tinha absolutamente mais nada que prestasse no Dragão do Mar. Já tinha até colocado isso em algum blog mas… qual? Bem, Santo Google deve saber. E qual não foi minha surpresa ao ver no meio das respostas isso: Garotas que dizem ni – O Misterioso Xou da Xuxa. Com um título desses, não tinha como não chamar a minha atenção. Comecei a ler esse post, fui para outro. Mais outro. Não consegui parar de ler. :-)

Não, não é outro sítio “sobre toskera”. Pelo contrário. Está muito mais para um little-gamers versão texto do que para um Sarajane Fotonovelas. Boa leitura para uma noite sem ter o que fazer.

Lasgo – Surrender (radio edit)

Como Fazer um Mestrado em Computação: Sugestões para uma Vida (mais) Feliz

Saturday, June 12th, 2004

Para receber gratuitamente milhares de dicas minuciosas sobre como se deve fazer um mestrado, eu posso sempre ligar para o meu pai. No caso de vocês, pessoas estranhas, existe uma alternativa: Como Fazer um Mestrado em Computação: Sugestões para uma Vida (mais) Feliz. :-D

Na página do autor desse artigo, um antigo estudante do curso de computação da UECE, você encontrará outras boas referências sobre o assunto e alguns artigos mais gerais, de interesse de qualquer estudante de Ciência da Computação.

Existe também uma página no IME da USP recheada de outros links muito interessantes.

Basement Jaxx – Right Here’s the Spot

Corram, ele está vindo…

Friday, June 4th, 2004

Zeto está realmente vindo para cá.

Eu só digo uma coisa: ieiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii! 2 cearenses e meio numa única casa – isso não vai prestar. :cool:

Será a República do Pão de Queijo com Rapadura? A casa sobreviverá a todos nós, reunidos e enclausurados entre a suas paredes? Ele inventará de mudará o canal da TV para a ESPN Brasil nos horários das minhas séries? E os vizinhos: aguentarão forró truando todo dia? A “zuada”? As risadas altas no meio da noite, quando travaremos vários death-matches de Tetrinet, Counter-Strike, e Decent? — é o novo!!

Eu sobreviverei a vinda de Zeto? E mais importante: Zeto sobreviverá a convivência diária comigo?

Façam suas apostas…
Geraldo Azevedo – Bicho de 7 Cabeças