Archive for May, 2004

Ateu, graças a Deus

Sunday, May 30th, 2004

Fiquei um tempinho a mais aqui na UFMG rodando uns experimentos. Cada execução tomava pelo menos uns 4 minutos. Chegado um determinado mometo eu, sozinho e com fome nesse laboratório, decidi sair a procura do que fazer para perder meu tempo enquanto aguardava alguns experimentos de 12 minutos terminarem. Como nínguém apareceu para jogar Tetrinet comigo, acabei indo vascular a web a atrás de algo interessante para ler.

Bati essa nessa excelente coluna na Folha de São Paulo. Recomendo a letitura dela a todos. Que se inicie a flame-war.

Bati também num rant muito bom no Little-Gamers sobre como é debil idéia americana de que eles vão consertar o Iraque:

Conservative commentator Tucker Carlson had an interesting comment while he was explaining why he felt foolish for having supported the Iraq war. Why did the conservative intelligencia, which by definition doesn’t trust the federal government to run the school down the street, expect the United States to be able to rebuild an entire society?

Muse – Thoughts of a Dying Atheist

Orkut e Dijkstra

Wednesday, May 26th, 2004

Você como bom aluno de Ciência da Computação sabe que Dijkstra é O(n^2), certo? Sabe que para calcular a distância mínima entre todos os vértices é O(n^3): vc pode rodar Dijkstra n vezes ou usar o algoritmo de programação dinâmica do Floyd-Warshall.

Beleza, agora vc, cara esperto, me diga uma coisa: como o Orkutconsegue, de maneira eficiente, me dizer a distância em “pessoa-que-conhece-pessoa-que-conhece…” entre eu e qualquer pessoa que eu buscar, dado o volume de usuários que ele possui? Ele faz isso em batch? Incrementalmente? Como?

Alceu Valença – Morena Tropicana

Banzo… (domingo feliz na UFMG)

Sunday, May 23rd, 2004

Domingo no DCC, Núbia Lafayette nos fones de ouvido e a cabeça longe…

Fiz meu rancho na beira do rio
Meu amor foi comigo morar
E na rede nas noites de frio
Meu bem me abraçava para me agasalhar

Mas agora meu bem foi embora
Foi embora e não sei se vai voltar
A saudade nas noites de frio
Em meu peito vazio
Virá se aninhar

A saudade é dor pungente, moreno,
A saudade mata a gente, moreno,
A saudade é dor pungente, moreno,
A saudade mata a gente…

É, ainda bem que esses tocadores de MP3 têm modo de execução aleatório

Paul Oakenfold – Ready Steady Go (Album Version)

É esssa saudade do passado que não me deixa esquecer

Sunday, May 23rd, 2004

e bla bla bla bla bla.

É, o blog voltou.